Clique para ampliar

Compartilhar:

Arte Indígena: Máscara MARIWIN da Etnia Matis Amazonas

Arte Indígena: Máscara MARIWIN da Etnia Matis Amazonas

Feita em Argila 

Apresenta um quebrado na lateral

Medindo 25cm.

Temos dois tipos de máscaras produzidas pelos povos matís.

A máscara do espírito ancestral ''Mariwin' dos índios matis ( Amazonas). Os mariwin são espíritos que vivem nas rocas e crescem nas palmeira nas antigas aldeias. Esses espíritos se comunicam com os homens através de mímicas e sons guturais. Os mariwin são um modelo estético e moral para os índios matis. Eles se adornam com ossos e pequenas varetas que furam a pele da bochecha, lábios inferiores e nariz e fincam pequenas agulhas feitas de cascas de palmeiras.

Os matis são os únicos povos indígenas brasileiros que fazem máscaras de cerâmica

No final dos anos 1970, época dos primeiros contatos dos matis com não índios, o grupo era constituído por centenas de pessoas. Em 1983, eram apenas 87 indivíduos. Nesse período, foram duramente atingidos por várias epidemias que se espalharam pela região, afetando especialmente crianças e idosos. Os sobreviventes, traumatizados, reagruparam-se em torno do Posto da Fundação Nacional do Índio (FUNAI) às margens do rio Ituí, em busca de remédios. Passado alguns anos, as roças começaram a produzir normalmente, alguns rituais ressurgiram e houve um aumento populacional significativo. Atualmente, os Matis não vivem mais em uma única aldeia e, assim, retomam, de modo tímido, o antigo padrão de ocupação territorial dispersa. Segundo a Fundação Nacional de Saúde, em 2010, a população Matis era constituída por 390 indivíduos.

Os Matis colaboraram com a FUNAI na frente de atração dos Korubo e, até hoje, são os principais tradutores e intermediários entre os Korubo e os não índios. Em 2014/2015, no entanto, um conflito entre os matis e os corubos resultou na morte de dois matis e sete a quinze corubos.

https://pt.wikipedia.org/wiki/Matis

https://pib.socioambiental.org/pt/Povo:Matis

 

 

Sobre nós

CASA DO VELHO acredita que valorizar os objetos de nossos antepassados é contribuir para preservar nossa história. É cultivando as lembranças da infância, dos itens que marcaram época, dos objetos inusitados que nos conectamos à nossa própria história

Pague com
Facebook
Newsletter

Assine nossa mala direta e receba muitas ofertas por e-mail.

Loja segura
Siteseal