Clique para ampliar

Compartilhar:

Vestido Utilizado por ANGELA CATRAMBY Ao Ser Eleita SENHORITA RIO Concurso Organizado Pelo Jornal O GLOBO, Edição de 1968

Vestido Utilizado por ANGELA CATRAMBY Ao Ser Eleita SENHORITA RIO Concurso Organizado Pelo Jornal O GLOBO, Edição de 1968

Ângela Catramby foi sem dúvida a mais famosa de todas entre as eleitas Senhoritas Rio, dando início após o concurso a uma carreira brilhante no mundo da moda. Ela foi record em capa de revistas principalmente da revista Cláudia.

Vestido em ótimo estado de conservação.

 

Nos anos 1960, um concurso era o sonho das meninas bem nascidas do Rio de Janeiro: o Senhorita Rio. De lá surgiam ícones da beleza carioca, como Angela Catramby e Martha Surerus, e moças que conseguiam um bom casamento – teve até a que se desviou para a pornochanchada.

O QUE HOJE SOA COMO HORROR ÀS FEMINISTAS, NAQUELES ANOS NÃO IMPORTAVA, AO CONTRÁRIO, NÃO FALTAVAM CANDIDATAS

 “No nome do concurso vai toda a sua sutileza: não se trata de eleger uma Miss, mas uma Senhorita Rio. Para a candidata obter o título de Senhorita Rio só beleza não põe mesa. A eleita revelará uma série de predicados (culinária, comportamento, cultura geral, etc.) que a farão a esposa almejada por todos os solteiros. O original certame está sendo patrocinado pelo jornal O Globo, que já realizou, aliás, os primeiros exames de seleção. A prova final será no fim desta semana e a Senhorita Rio escolhida dançará feliz, num grande baile, nos salões do Clube Monte Líbano.” 

O texto do jornalista José Rodolpho Câmara, na matéria “Um Concurso Diferente”, publicado na revista Manchete, de 15/07/1961, ilustrado com fotos de lindos “brotos”, deixava claro que o Senhorita Rio seria mais que um concurso de Miss. Marcou época na sociedade carioca e teve repercussão em todo o País, revelando garotas na faixa de idade média de 16 anos competindo em trajes esportivos e vestidos de gala. Algumas delas ganharam mais fama que outras e são lembradas até hoje.

Angela concorreu aos 16 anos, em 1968, com outras 40 candidatas. “A graça da sua idade, e um certo ar de Claudia Cardinale, a fez terminar a noite como a vencedora”, dizia a Manchete, para a qual ela fez seu primeiro ensaio e capa. O prêmio? Uma viagem a Tóquio com acompanhante e mais um cheque em dinheiro: 5 mil cruzeiros novos.

Angela nasceu e cresceu em Copacabana e estudou no tradicional Colégio Andrews. “Nessa fase, ela já era elegante, educada, simpática, parecendo bem mais madura que nós”, relembra o autor Flavio Marinho. Ambos foram colegas no Andrews e ela foi a musa inspiradora de Flavio para a peça Estúpido Cupido.

Antenada, mesmo adolescente, já gostava da atriz Anouk Aimée, John Kennedy, Walt Disney e do filme Um Homem, uma Mulher, de Claude Lelouch. Também era muito educada, segundo os mais próximos. “Ela era uma princesa, uma doce princesa”, diz Pedro Aguinaga, o homem mais bonito do Brasil nos anos 1970.

Do concurso, ela nunca mais parou de fotografar: tudo por causa de seu sorriso perfeito e olhar cativante. Do primeiro casamento, teve quatro filhos. E mesmo na separação ganhou uma capa da revista Claudia, que mostrava que exemplar de mulher perfeita, agora também podia ser separada. Angela e a revista evoluíram juntas.

por Renato Fernandes

https://issuu.com/editoraglamurama/docs/edicao_140_revistaria/s/11073223

Produtos recomendados

Jornal OPINIÃO n°212  Publicado em 26 de Novembro de 1976

Jornal OPINIÃO n°212 Publicado em 26 de Novembro de 1976

por R$ 25,00
ou 3x de R$ 8,33 sem juros
ou R$ 22,50 por depósito bancário
Garrafa de Mostarda VGF Forma de Barril, Usada como Tempero e na Cura de Doenças, Original dos Anos 1850

Garrafa de Mostarda VGF Forma de Barril, Usada como Tempero e na Cura de Doenças, Original dos Anos 1850

por R$ 180,00
ou 3x de R$ 60,00 sem juros
ou R$ 162,00 por depósito bancário
Jornal OPINIÃO n°217  Publicado em 31 de Dezembro de 1976

Jornal OPINIÃO n°217 Publicado em 31 de Dezembro de 1976

por R$ 25,00
ou 3x de R$ 8,33 sem juros
ou R$ 22,50 por depósito bancário
Passaporte de Trânsito Português do Governo de Lisboa Ano 1856

Passaporte de Trânsito Português do Governo de Lisboa Ano 1856

por R$ 100,00
ou 3x de R$ 33,33 sem juros
ou R$ 90,00 por depósito bancário
Sobre nós

CASA DO VELHO acredita que valorizar os objetos de nossos antepassados é contribuir para preservar nossa história. É cultivando as lembranças da infância, dos itens que marcaram época, dos objetos inusitados que nos conectamos à nossa própria história

Pague com
Facebook
Newsletter

Assine nossa mala direta e receba muitas ofertas por e-mail.

Loja segura